Glúten - O que este nutriente pode causar de mal?

Bom gente, hoje resolvi falar um pouquinho sobre o glúten, como podem ver, costumo postar receitas de alimentos sem este nutriente. Então chegou a hora de entendermos melhor sobre esta proteína e o que ele pode causar no nosso organismo.

 

            Proteína encontrada no trigo, aveia, centeio, cevada, malte e todos seus derivados, tem a saborosa função de dar elasticidade e volume às massas, é figurinha certa nos pães e bolos, macarronadas, biscoitos, pastéis e pizzas e até na cerveja e no uísque. Bem popular na nossa dieta, no entanto, nem sempre é tão bem recebido pelo nosso organismo. Em alguns indivíduos pode disparar incômodos como a doença celíaca ou a sensibilidade ao glúten.

            Indivíduos celíacos sofrem de doença autoimune que tem predisposição genética. Por alguma razão, ainda desconhecida o corpo repentinamente começa a enxergar o glúten como um invasor e passa a produzir anticorpos para destruí-lo. Porém, isso afeta também o intestino que vai sendo bombardeado, sofrendo lesões, deixando de cumprir sua tarefa de absorção dos nutrientes.  Com o tempo, esses efeitos vão se acumulando e a saúde é afetada de várias maneiras.

            Já a sensibilidade ao glúten ainda é um mistério para ciência. Parece ser uma reação do organismo à proteína quando ele está sob estresse. Ou seja, é como se o corpo se irritasse com a presença do glúten, porém não há soldados para atacar a proteína. Ainda não existem testes para identificar esse problema, nem saber as consequências a longo prazo.

            O detalhe problemático é que mais de 90% das pessoas que sofrem por conta do glúten nem sequer desconfiam que ele anda incomodando a saúde delas.

            Algumas pesquisas também mostram que indivíduos que se propuseram a fazer dieta isenta de glúten, obtiveram perda de peso. Isto por que com a ausência do nutriente, houve melhoria no funcionamento do intestino, redução da retenção de líquidos, redução no percentual de gordura.  Além disso, também mostrou melhoria quanto às alergias alimentares, a presença de cefaleia, a falta de energia nos indivíduos e a qualidade do sono.

            Indivíduos que possuem uma alimentação isenta de glúten devem ficar atentos aos rótulos dos alimentos. Todos os alimentos devem conter a expressão “Contém glúten” ou “Não contém glúten”. Geralmente esta frase encontra-se abaixo a lista de ingredientes. Hoje, temos no mercado muitos alimentos isentos deste nutriente, como por exemplo o pão e macarrão sem glúten. 

            IMPORTANTE: Quem deseja fazer dieta isenta de glúten deve procurar um nutricionista para que assim ele consiga substituir corretamente este nutriente por outras fontes alimentares de forma correta e não ocorra prejuízo ou danos à saúde.

Beijos e boa semana a todos!!

 

 

Fontes:

  • ANDRETTA, Valéria. Alimentação restrita em glúten e sua relação com alergias alimentares. Novo amburgo, 2005.
  • GLUTEN: 10 sinais de que você tem sensibilidade alimentar. Sao Paulo: Escala, n. 121, maio 2013

Leia também

 

De bem com a balança

Todos os direitos reservados ©