Cicatrização: Como a Alimentação Pode Influenciar

Quando estamos prestes a fazer alguma cirurgia várias preocupações rondam nossa cabeça, e a cicatrização perfeita é uma delas. Vamos saber como a alimentação pode influenciar sobre a cicatrização no nosso organismo. Quais alimentos estão na lista dos permitidos e contra indicados.

Ao passarmos por algum processo cirúrgico ou até mesmo em um acidente, precisamos introduzir em nossa dieta, alimentos que ajudem a reconstruir o tecido lesionado. E ao mesmo tempo, há itens que deve estar de fora em prol de uma cicatriz quase invisível. O camarão está no topo da lista. Alguns estudos comprovaram que comer camarão modifica os níveis de algumas proteínas no organismo, levando a um estado inflamatório. Após um corte, ocorre uma inflamação normal, que sinaliza para o corpo que está na hora de cicatrizar. Mas, a situação complica quando existe um estado inflamatório preestabelecido.

Assim, em um quadro de inflamação exacerbada, o grande perigo não chega a ser o rompimento do tecido que está se formando a cicatriz, como observado nos animais, mas sim de uma supercicatrização. Há um maior estímulo para a formação de colágeno e vasos sanguíneos no local. Sendo que essa sobrecarga de colágeno não é bem-vinda, já que aumenta o risco de quelóide (cicatriz que ultrapassa as barreiras da pele).

Porém, o camarão não é o único da lista. Todos os alimentos ricos em gorduras trans, como salgadinhos, sorvetes, biscoitos e congelados estão na lista dos contra indicados. Abastecidos de sódio, eles ainda promovem inchaço, mais um fator que atrapalha na cicatrização.

A inclusão da carne vermelha é bem vinda, pois proporciona aminoácidos importantes para fabricação do colágeno, que em doses adequadas funciona como uma espécie de cimento para fechar a ferida. Entretanto, devem-se preferir os cortes mais magros, como alcatra, filé, lagarto, coxão mole e músculo. Evitando assim a concentração de gorduras saturadas. Outro alimento que também deve estar presente nesse período é o peixe, fonte de ômega 3- gordura de ação antiinflamatória, no topo está a sardinha, salmão e o atum.

Não esquecendo das frutas, principalmente as ricas em vitamina C (acerola, limão, laranja, morango, pêssego...). Esse nutriente é fundamental para produção do colágeno. A única exceção é o abacate, pois contém substancias que destroem o colágeno. Outro nutriente essencial é o zinco, sem ele não há uma boa cicatrização. Já é provado cientificamente que pacientes com queloide tem níveis baixos de zinco. Tudo por que a formação de colágeno só aparece na sua presença.  As carnes, os peixes e todos os vegetais folhosos verde-escuros concentram o mineral.

 Pró-cicatrizantes:

Castanhas e nozes: Além de contarem com gorduras benéficas, com poder antiinflamatório, são boas fontes de zinco, garantindo o equilíbrio de colágeno no organismo.

Peixes e carnes magras: Os cortes magros de carne dão incentivo especial para formação do colágeno, e os peixes fornecem ômega-3, gordura que barra a inflamação.

Vegetais arroxeados: A cor indica a oferta de antocianina, um dos antiioxidantes mais efetivos para a pele. Cereja, beterraba e berinjela são as principais fontes.

Fontes de vitamina C: Acerola, caju, morango, laranja, limão. A vitamina C é essencial para formação adequada do colágeno- proteína que regenera o tecido.

Contra Indicados:

Camarão: O crustáceo tem concentrações elevadas de quitosana, uma molécula que favorece a inflamação da pele.

Carne de Porco: Ela também inflama a cútis, o que pode elevar além da conta a produção de colágeno e gerar uma supercicatrização – Quelóide.

Soja: As isoflavonas da leguminosa estimulam a liberação de substâncias do corpo que rendem mais e mais inflamação na ferida.

Pimenta: Ela tem capsaicina, substância ótima para as artérias, mas um tanto agressiva para a pele. Melhor evitar por um tempo.

Queijos Gordos: Lembrem-se queijo quanto mais amarelo for, mais gordura saturada possui. Estes devem ficar longe da dieta, pois também dificultam a cicatrização.

Muitas vezes, não somos alertados pelos médicos a respeito disso. Por isso, é muito bom sabermos quais alimentos devem ficar fora da mesa e quais podem ajudar no processo de cicatrização. 

Leia também

Comentários

Isso me ajudou muito!
Hoje vou a um restaurante japonês, e estava com a duvida do peixe. Obrigado!

Olá,

Em quanto tempo poderei voltar a comer esses alimentos? Fiz uma colecistectomia laparoscópica há 5 meses e minha cicatriz já está pronta, já voltei minha alimentação normal e não senti nenhum problema, mas tenho medo de comer crustáceos e frutos do mar. Quando poderei comer novamente?

Raiane:

Olá, o ideal é você ver sua indicação médica.

att

Comentar

Plain text

  • Nenhuma tag HTML permitida.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.
By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.
 

De bem com a balança

Todos os direitos reservados ©